Os riscos à saúde causados pela internet

Você que tem acompanhado o blog do Clube da Robótica já viu alguns riscos que o uso abusivo da internet pode trazer para as pessoas, principalmente para as crianças. Falamos aqui sobre os riscos a que os pequenos são expostos quanto ao conteúdo ilimitado das telinhas… A cada nova aba, uma página repleta de informações, muitas vezes, não muito confiáveis. Mas hoje vamos tratar de outro tipo de risco, os riscos à saúde causados pela internet.

Muitos desses riscos são bem conhecidos da maioria das pessoas. Mas há outros que ainda carecem de maior abordagem e cuidados para que não venham a afetar o dia a dia das crianças. O uso desenfreado pode não contar com efeitos imediatos, mas os riscos a saúde causados internet devem ser monitorados para não trazer consequências futuras. Vamos conhecer alguns deles:

Viciados nas telinhas
Os efeitos, dizem os especialistas, podem ser os mesmos das pessoas viciadas em drogas. Por isso, o vício na internet já vem sendo estudado pela Associação Americana de Psicólogos, que considera a dependência tão crônica quanto à de substâncias como álcool e cocaína. Por lá eles nomeiam como Transtorno do Vício de Internet.

Este vício, ou ciberdependência, é caracterizado quando as pessoas passam a deixar a ‘vida social’ de lado pela conexão excessiva, seja com jogos, e-mails, vídeos, ou redes sociais. Vale ressaltar que o vício não se caracteriza somente pelas horas excessivas na internet, mas vem acompanhado por outras patologias, como ansiedade e depressão.
Apesar de não nos atentarmos tanto a este tipo de vício, pesquisas já apontam que 1 a cada 4 jovens possui características. A Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) publicou em 2019 estudo feito com mais de 2 mil jovens de 15 a 19 anos e chegou a este resultado.

Ansiedade e Depressão
Como falamos acima, a ansiedade e depressão ligadas ao uso excessivo da internet, pode estar associada ao vício. Portanto, o comportamento dos jovens deve ser monitorado. A mesma pesquisa da UFES apontou que a proporção de jovens com sintomas de ansiedade entre os ciberdependentes é o dobro da dos demais jovens, sendo 34%, e 17% respectivamente.
Os casos de ansiedade e depressão são preocupantes ao avaliar os riscos à saúde causados pela internet. Entre os jovens, os sintomas podem aparecer com irritações, baixa autoestima, problemas de socialização e solidão, por exemplo.

Sedentarismo e Obesidade
Quando o tempo conectado atrapalha a vida social, certamente as atividades físicas e a preocupação com a alimentação são deixadas de lado, não é? Portanto outros riscos à saúde causados pela internet podem ser o sedentarismo e a obesidade.

Visão e audição podem ser comprometidas
Até o final de 2050, metade da população mundial deve sofrer com a miopia, caracterizada pela dificuldade em enxergar de longe. É o que prevê a Academia Americana de Oftalmologia. Entre crianças e jovens, o número de míopes vem aumentando gradativamente. Uma das origens deste aumento pode estar associada ao uso excessivo das tecnologias, além de ter causas na hereditariedade.
A audição comprometida é outro entre os riscos à saúde causados pela internet. Aqui os especialistas apontam o uso dos fones de ouvido como vilões. O uso em excesso ou o volume muito alto são as causas do dano.

Movimentos repetitivos
As Lesões por Esforços Repetitivos (LER) também podem estar entre os riscos à saúde causados pela internet. Digitar, ou jogar online podem trazer as lesões. Tendinites e bursites também podem entrar no rol…

Problemas de coluna podem ser um dos riscos à saúde causados pela internet
Sentar de maneira incorreta em frente ao computador, ficar com a cabeça abaixada ao segurar um tablet ou ver um vídeo no celular. Há diversas situações nas quais a sua coluna pode estar sendo afetada. Aqui se deve apostar em manter uma postura correta e realizar alongamentos frequentes para que as dores demorem a chegar.

Pois é, os riscos à saúde causados pela internet parecem não ter fim… Mas a moderação pode ser a palavra da vez. Moderação aliada aos cuidados quanto ao uso. Neste texto apontamos os riscos, mas eles podem ser um lembrete para manter a saúde em dia.